A INTERFACE HUMANO-COMPUTADOR

Home / Uncategorized / A INTERFACE HUMANO-COMPUTADOR

A INTERFACE HUMANO-COMPUTADOR E SUA RELAÇÃO COM O CONCEITO DE QUALIDADE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE E SUA PERCEPÇÂO AOS OLHOS DO USUÁRIO

 

Apesar do conceito de qualidade poder ser “mensurado” este é, em essência, abstrato. A mensuração da qualidade depende do nível de satisfação que se deseja atingir junto ao cliente. Um produto de qualidade, aos olhos do cliente é aquele que atende suas expectativas e necessidades e não necessariamente se este produto é ou não durável aos olhos de outrem.

O desenvolvimento de melhores interfaces desde o início da era da computação eletrônica com o advento do computador ENIAC de 1945/46 construído para o exército Norte-Americano com o objetivo de ser usado no seu laboratório de pesquisa balística (MORENO, 2011) tornou-se matéria de estudo, mais aprofundada, aos longos dos anos subsequentes na medida em que a computação passou a ser mais popular e acessível a seres humanos comuns da sociedade. Ao longo dos anos posteriores a partir de meados da década de 1940 nota-se que há uma maior preocupação com as questões de usabilidade dos computadores.

Se observado o primeiro computador pessoal Altair 8800 lançado em 1975 (OLDCOMPUTER.NET, 2002) com a ótica atual ver-se-á uma interface considerada inadequada para os dias atuais. Mas no momento de seu lançamento era o que se tinha de melhor. Era um kit de computador vendido desmontado para ser montado em casa por entusiastas em eletrônica, não tinha teclado ou monitor de vídeo, todas as ações de entrada e saída eram executadas a partir de seu painel principal com o ligamento e o desligamento de chaves comutadoras. Não se via, além deste público mais ninguém utilizando aquele equipamento. Não demorou para que surgissem soluções de microcomputadores com aparência profissional, como foram os Apple II, TRS-80, Amiga PET, entre outros.

Se observado o período de 1946 até 1984 a melhoria nas interfaces de uso de computadores ocorreu na mudança dos painéis com luzes piscantes para os ecrãs (monitores de raios catódicos em fósforo verde, branco, azul ou âmbar) e a junção de um teclado similar aos usados nas máquinas de escrever. Na atualidade os ecrãs seguem novas tecnologias que proporcionam maior conforto visual.

O primeiro contato com uma interface gráfica, para o público geral ocorreu com o lançamento do primeiro Macintosh em 1984 da empresa Apple, que apesar de vários problemas internos na época conseguiu revolucionar a forma de interação humano-computador, apresentando além do teclado e monitor de vídeo um mouse como periférico de apontamento. A Apple não revolucionou a interface humano-computador da época a partir de pesquisas próprias, mas recebeu de “mão beijada” toda ideia da empresa XEROX que havia produzido uma estação de trabalho nos mesmo moldes em 1972 e foi recusada por sua alta cúpula (OUTER SPACE, 2012 & GUEDIN, 2012). O mouse (rato em Portugal, ratón na Espanha e mouse no Brasil) como periférico de apontamento, não fora desenvolvido pela XEROX, mas baseado no projeto de Douglas Carl Engelbart que apresentou o que é chamado de mouse em 1962 (MOUSESITE, 2016).

Após as decorrências desse momento histórico o que se tem são as melhorias dessa tecnologia. No entanto, as melhorias apresentadas nas interfaces gráficas até os dias de hoje não são tão mais impactantes como foi na década de 1980.

É notório perceber que a história do desenvolvimento da Interface Humano-Computador (IHC) ocorreu concomitante a evolução da computação de forma natural, tornando-se mais recentemente como uma das fontes de pesquisa e discussão sobre questões de usabilidade funcional. Na atual conjuntura, não é possível discutir a qualidade de software apenas do ponto de vista produtivo, mas necessário proceder uma discussão do ponto de vista da usabilidade operacional dos sistemas. O que se busca com o ferramental hardware e software é aumentar a produtividade das empresas e dos usuários da computação. Não é necessário ir ao passado e visualizar as formas de interação dos computadores mais antigos com a forma de interação dos computadores mais modernos. Os computadores mais antigos, eram no geral usados por especialistas e cientistas e pouco importava a mecânica de comunicação com os computadores. A preocupação a essa relação, ocorre a partir do surgimento dos microcomputadores e do acesso de pessoas comuns ao uso desta tecnologia.

Se tomar, como simples exemplo, o uso de caixas eletrônicos (terminais ATM – Asynchronous Transfer Mode) disponibilizados pela rede bancária aos seus clientes já é possível perceber sistemas que são mais fáceis e rápidos de usar que outros. No geral os bancos oferecem a seus clientes os mesmos serviços de acesso, mas o comportamento operacional de cada sistema pode ser diferente. Há bancos que possuem sistemas de comunicação mais elegantes, com visual mais leve que agiliza a localização das opções na tela e diminui o tempo de permanência a frente do caixa eletrônico, se comparado a sistemas de outros bancos concorrentes que podem efetuar suas ações em tempo maior. Isto não significa que o sistema de um banco é pior ou melhor do que de outro banco. Não é possível ao usuário saber o nível de qualidade usado internamente nos sistemas, mas do ponto de vista da usabilidade o usuário terá uma perceção mensurável podendo julgar qual interface de acesso melhor atende suas necessidades e espectativas.

 

BIBLIOGRAFIA

GUEDIN, R. Em 1972, a Xerox previu como seria o PC de hoje. Gizmodo, 2012. Disponível em: <http://www.gizmodo.com.br/em-1972-a-xerox-previu-como-seria-o-pc-de-hoje/>. Acesso em: 5 mai 2016.

MORENO, J. B. ENIAC, primeiro computador do mundo, completa 65 anos. Tecnoblog, 2011. Disponível em: <http://tecnoblog.net/56910/eniac-primeiro-computador-do-mundo-completa-65-anos/>. Acesso em: 22 abr 2016.

MOUSESITE. The Demo. Stanford, 2016. Disponível em: <http://sloan.stanford.edu/mousesite/1968Demo.html>. Acesso em: 15 abr 2016.

OLDCOMPUTER.NET. MITS Altair 8800. Obsolete Tecnology Homepage, 2002. Disponível em: <http://oldcomputers.net/altair.html>. Acesso em: 5 mai 2016.

OUTER SPACE. Em 1972 a XEROX Palo Alto Research Center ( PARC ) Previa o Futuro dos Computadores. R7, 2012. Disponível em: <http://forum.outerspace.com.br/index.php?threads/em-1972-a-xerox-palo-alto-research-center-parc-previa-o-futuro-dos-computadores.280619/>. Acesso em: 27 abr 2016.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *